O céu

A cada respiro, um obstáculo.
Inspira
Julgamentos limítrofes
Espira
Cansaço frustrado.

Coração bate como ferida
que lateja dolorosa.

Para todos os lados
A vista é cerca
Para baixo
A vista é corrente
Para cima… ah!
Para cima a vista é céu!

É céu que as vezes
tempestade
É céu que as vezes
calmaria
É céu.

Quem carrega a chave
É sempre prisioneiro
Pois liberdade
aprisiona.

Como deixar pra trás
o Éden prometido
de campos verdejantes
e fresca água
cercado de amor farpado
e preso de falsa liberdade?

Tentadora a ideia
de uma vida ilusória.
Mas ah!, o céu…

Quem me dera um dia
minhas asas enfeitadas de coragem
pudessem se abrir e conhecer
o céu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s