insana

Ela te pega, te devora, te tira de si
ela passa
avassala
arranca teu peito do coracão.

Fico assim calminha
Fico assim mansinha
Fico assim.

Morro assim, me perco assim e vivo assim.
Sobrevivo.
Vivo? No fogo que queima, talvez.

No fogo que queima que arde que agarra
que pede que passa que volta
que apaga que acende que mantém a vida acesa enquanto a chama passa
na brisa que levanta revive reclama
no vento que para te acalma te chama
na terra que corre que foge impulsiona
na água que salva que mata que afoga
no tempo que come que perde que muda
no tempo que volta traz de volta dá a volta
vive em volta
No tempo.

No tempo.

Passa o tempo.

Na vida atua. Na arte, vive.
E vive e ama e sente e deixa e solta
intensa completa repleta plenitude do ser…
É!
Acorda.

Anúncios